FAQ

Perguntas Frequentes

Por que Economia Criativa?
A Economia Criativa é reconhecida como uma solução para os futuros sustentáveis de modo que estimula os bens e serviços criativos a partir da diversidade cultural e territorial. Trata-se de estratégias para o desenvolvimento sustentável  com o objetivo maior de transformar criatividade e cultura em inovação que por consequência torna-se riqueza cultural, social e econômica.

Por que Turismo junto à Economia Criativa?
O Turismo e a Economia Criativa são categorias correlatas que fortalecem as estratégias para o contexto cultural e econômico de um território. A soma dessas economias com o desenvolvimento sustentável transformam a relação do turista com a comunidade local, o trânsito de visitantes com o território, e, principalmente, a qualidade tangível e intangível da experiência do viajante com o território, a comunidade e seus bens e serviços.

Quais são os setores ligados ao Turismo?
A diversidade cultural é um dos maiores ativos do turismo tendo como aliado todos os setores criativos. Acreditamos que além dos equipamentos culturais e patrimônios naturais, tradicionalmente incluídos na rota do turista, os diversos setores culturais e criativos são pontes de ligação entre o turista e a experiência local.

Qual a diferença entre Indústria Criativa e Economia Criativa?
Quando falamos em indústria criativa, estamos falando de um campo de atuação, estamos falando de um conjunto de setores produtivos (culturais e criativos) relacionados com as áreas de patrimônio (museus, sítios arqueológicos, festas e celebrações, gastronomia etc)), artes (música, teatro, dança, fotografia escultura etc), mídias (cinema, vídeo, jogos digitais, TV, rádio, mídias interativas e publicações impressas) e criações funcionais (design, marketing, publicidade & propaganda, arquitetura etc).  Quando falamos em economia criativa, falamos das dinâmicas de trocas culturais, sociais e econômicas que se constituem e se desenvolvem nas etapas de criação, produção, divulgação, comercialização/distribuição e consumo de produtos (bens e/ou serviços) de setores culturais e criativos.



Qual a diferença entre Economia Criativa e Economia da Cultura?
Qual a diferença entre Economia Criativa e Economia da Cultura?
Os termos economia da cultura e economia criativa são muitas vezes confundidos por tratarem de um mesmo campo de análise (o campo cultural), embora suas abordagens e e seus escopos de atuação sejam diversos. O conceito de economia da cultura é anterior ao de economia criativa. A economia da cultura passa a ser objeto de reflexão e debate a partir da década de 1960, quando percebeu-se a contribuição que a teoria econômica poderia dar no aprofundamento de reflexões sobre as dinâmicas econômicas do campo cultural e na formulação de políticas públicas para o desenvolvimento dos seus setores. O conceito de economia criativa nasce nos anos de 1990, na Austrália, com um escopo ampliado de setores, contemplando tanto os tipicamente culturais (artes, patrimônio e audiovisual) quanto aqueles relacionados com as novas mídias e áreas como design de moda, design de jóias, design de brinquedos, publicidade, marketing, arquitetura etc. Para além disso, mais do que uma economia definida a partir do seu escopo setorial, a economia criativa colocou sobre a mesa de discussão o desenvolvimento de novos modelos, processos e estratégias de inovação baseados na cultura e na criatividade, considerando em sua constituição aspectos identitários promotores do desenvolvimento local e regional.

Qual a relação entre Cultura, Criatividade e Turismo?
As atividades culturais, criativas e turísticas estimulam a Economia Criativa e o Turismo Criativo. As relações baseiam-se na diversidade cultural, inclusão social, sustentabilidade e inovação. O consumidor vive uma experiência além da compra, retém conhecimento e é estimulado para uma consciência social, cultural e ambiental; criando assim um fluxo de mediação, acolhimento, cocriação e memória entre o indivíduo e o território.

Apenas profissionais que desenvolvem atividades culturais e criativas fazem parte da economia criativa?
Não. Há uma gama de profissões e atividades fundamentais e estruturantes para o êxito da Economia Criativa. Infraestruturas como transportes, serviços de limpeza, entre outros, são correlatas e indispensáveis para o organismo da Economia Criativa atuar.